Pular para o conteúdo principal

Livro "Outros Cantos" e a estética da sobrevivência.


        

                     Há narrativas-correntezas tão fortes que nos fazem mergulhar no outro que também somos. Parece algo muito fora de nós a princípio, dada a vertigem do encontro, mas vamos entendendo no percurso da leitura que é realmente da nossa intimidade que se alimenta, da nossa imediata identificação,dessa afinidade aguda que pode até mesmo nos interrogar e que se lastreia para dentro, nos investigando os porões, revirando os guardados, revelando vozes segredadas, aquelas que não cuidamos de registrar e que vão se misturando ao chão da vida, trajetórias de leituras que nos escapam... E é partindo deste princípio, do meu lugar de leitora e educadora, ambas encantadas, que ofereço uma modesta contribuição de olhar a "Outros Cantos" de Maria Valéria Rezende. Porque, se nos encantamos e ainda não fomos castrados nesta habilidade, é pelo olhar curioso, visitado por outros sentidos, que nos deixamos reconhecer no texto lido e amado. 
              Em "Outros Cantos", ao me deparar com Maria, as Marias que habitavam em mim ressoaram. Dentro de mim uma nova jornada mítica: significar o que compreendo como estética da sobrevivência. Algo de delicado e outro de doloroso me ocorrem para tentar descrever esta estética de histórias que se assemelham às minhas e recriam pela cultura este diálogo permanente e polifônico. Como recebo Maria a partir de minhas Marias? As Marias que não deixei vingar, as que calei de saída, por medo e resposta antecipada contra o que parecia destino? Perguntas teimosas me fazem companhia pelo trajeto da leitura, às vezes estreitando a vista a fim de enxergar melhor esses jogos de perder e achar. Não sei se alcanço o todo de dizeres que vão brotando da pedra, a minha é a mais bruta. Procuro aqui e ali um desvão, um atalho que nos una, e que me faça encontrar Maria, a educadora, a nordestina, a viajante, a corajosa - num feito de matriochka. Um engenho elaborado entre escrita e significação que vou costurando junto à cartografia do sertão. O sertão que se biparte em geografia e sentimento. Patuá de sertão é para sempre esse carregado de memórias no peito. 
                  Mas eis que surge a imagem que persigo: a viagem. O caminho sensível pela alma de minha leitura amorosa, alma porosa, cálida e dedilhada pelo risco e invento dos sobreviventes. Tento sintetizar minhas percepções e palavras como "denso, perturba-dor, delicado" são os melhores qualitativos que encontro. Ouso trazer Maria e "Outros Cantos" para minha coleção de imagens. Guardo este segredo de quem escava histórias em mil camadas e que se instaura na convergência da leitura com a educação: dois amores e uma espécie de circuito inacabado que encarna no mundo como aliança quixotesca, subversiva, desviante. "Outros Cantos" acende em mim a tradição das almas velhas. Dou rendas à escritura: cheia, vazia, entrelaçada, torcida - que não guia, mas nos torna cúmplices da narrativa, sujeitos clandestinos, desejantes e sonhadores.


Maria Valéria Rezende é ganhadora do prêmio Jabuti e do prêmio Casa de Las Américas.

Postagens mais visitadas deste blog

Era uma vez o livro proibido pelo MEC...

Era uma vez o livro proibido pelo MEC
Quando li a notícia de que o Ministério da Educação (MEC), através de ofício, ordenou o recolhimento de noventa e três mil exemplares do livro infantil “Enquanto o sono não vem”, de José Mauro Brant, quem perdeu o sono fui eu. Lembrando que o livro faz parte do Programa de Alfabetização na Idade Certa (Pnaic), programa voltado para alunos das séries iniciais das escolas públicas. Pergunto então: como é possível que uma obra baseada nas histórias orais da cultura brasileira possa ofender tanto? Será que os técnicos do ministério não entenderam que há neste ato uma atitude altamente repressiva? E o que há por trás desta determinação tão autoritária?
A confusão começou quando educadores muito preocupados entenderam que o conto “A triste história de Eredegalda” fazia referência a incesto, um tema por demais complexo para ser comentado com crianças pequenas. Claro. Mas, espera aí… Só para citar dois, pois receio que terão que proibir também Chapeuzinho…

Peça de Teatro - Educação Infantil.

CELESTE E A BRUXA DOS DENTES






Personagens: Celeste, a Bruxa dos Dentes, o dente, o dentista, a escova de dentes, a pasta de dente, o fio dental e a lixeira. Cenário: sala de aula. 


Celeste - Olá crianças! Eu me chamo Celeste! C- Bom dia! C- Vou me apresentar pra vocês! C – Posso ser amiga de vocês? C – Eu hoje vou falar sobre higiene. C – E aí? Alguém sabe? C- Higiene também é tomar banho, lavar as mãos, escovar os dentes, passar o fio dental... Quem sabe o que é fio dental? Fio dental é o fio que a gente passa entre os dentinhos pra ajudar na escovação. Aí é que eles ficam realmente bem limpinhos. O dente – Oi gente, eu sou o dente! (crianças do 5º ano) C- Agora eu vou mostrar pra vocês os amigos da higiene dental. O dentista – Oi, eu sou o dentista! (crianças do 5º ano) A escova dente – Oi, eu sou a escova de dente. (crianças do 5º ano) A pasta de dente – Oi, eu sou a pasta de dente. (crianças do 5º ano) O fio dental – Oi, eu sou o fio dental.  (crianças do 5º ano) A lixeira – Oi  amiguinho…

LEITURA: Projeto Educação Ambiental.

PÚBLICO-ALVO: Alunos da Educação Infantil e do 1º Segmento do Ensino Fundamental JUSTIFICATIVA:  Educação Ambiental deve buscar valores que conduzam a uma convivência harmoniosa com o ambiente e as demais espécies que habitam o planeta, auxiliando o aluno a analisar criticamente o princípio antropocêntrico, que tem levado à destruição inconseqüente dos recursos naturais e de várias espécies.              A conscientização ambiental é de fundamental importância e precisa começar desde a infância. A escola exerce um papel vital neste processo, incutindo nas crianças e adolescentes a consciência de que é preciso preservar o ambiente em que vivemos.              Na intenção de reforçar cada vez mais entre os alunos a consciência de preservação ao meio ambiente, desenvolvemos este projeto que visa estimular esse exercício de cidadania, promovendo a leitura em suas diversidades textuais, focando o tema Meio Ambiente e Reciclagem.             Partindo de uma leitura crítica e dinâmica da rea…